sábado, 12 de julho de 2008

Alexandre

A história é um pouco mais complexa, digamos que sobrenatural! (Eu costumo brincar um pouco, mas neste caso o meu relato está sendo sério mesmo!)Fui criado em uma família classe média baixa, conservadora, certinha demais e muito religiosa (católica). Homossexual para mim era um homem depravado que queria se vestir de mulher e paquerar todos os homens. Quando aos dezesseis me descobri homossexual me tranquei no banheiro e chorei muito. No início dessa descoberta, entendi porque tinha um comportamento e atitudes diferentes da maioria dos meninos da minha idade. Essa análise durou pouco, pois afirmei para mim que isso era só uma fase da adolescência e com a minha força de vontade eu iria mudar toda essa situação. Passei a analisar todas as diferenças de comportamento que existiam entre mim e os outros rapazes que eu considerava heterossexuais para poder me adequar e me recondicionar (me deu vontade de vomitar agora!). E quanto mais eu reprimia os meus sentimentos, mais a minha homossexualidade aflorava. Eu não sabia, mas eu também sofria de um transtorno de ansiedade conhecido hoje em dia como TDAH ou DDA e que piorou e muito com essa minha luta constante em me tornar heterossexual. E naquela (início da década e 90) época não se encontrava nenhuma leitura decente ou consoladora sobre a homossexualidade para o público. A homossexualidade quando citada era sempre uma patologia ou um desvio de caráter. Logo a depressão própria de quem sofre de DDA passou a ser uma companheira constante para mim. Depressão após depressão e eu não achava solução alguma para o meu problema. E não encontrando uma saída e não conseguindo me abrir com ninguém (Um pesadelo terrível!) passei a me tornar mais religioso e perdir cada vez forças a Deus, o que me ajudou de uma forma imensa (Se não fosse o amparo espiritual já teria morrido ou me matado!).
Essa minha busca religiosa me trouxe experiências religiosas que me ajudaram a acreditar e ter uma fé cada vez maior. Nas minha experiências espirituais Deus realmente se mostrava imensamente bondoso, justo, misericordioso. Com o tempo eu passei a ter uma crise espiritual, mas não porque eu deixasse de crer em Deus, mas porque a minha mente não conseguia conciliar um Deus que condenasse o amor de duas pessoas e fosse assim mesmo um Deus de amor. Continuava tendo fé em Deus, mas sempre o questionava muito sobre isso a ponto de deixá-lo de lado por um tempo por não suportar isso. Minha distância durou apenas alguns meses e novamente eu voltava os meus olhos e o meu coração a Deus, mas continuava a questionar essas incoerências.Minha depressão aumentou e as crises demoravam mais tempo para terminar. Já até pensava numa maneira de desaparecer do mundo. Eu rezava pra ser atropelado, adquirir um câncer, dormir e não mais acordar etc...
Numa tarde aluguei o DVD "O Segredo de Brokeback Mountain" para assistir e gostei bastante do enredo. Passei a imaginar o "porquê" de Deus condenar os amor entre dois homen e duas mulheres e sempre pedia pra que Ele me desse uma explicação. Alguns dias depois tive o sonho mais intenso de minha vida. (Eu sei que tem gente na comunidade que é ateu, que não acredita na existência de Deus, mas eu sei também que ter fé em Deus não é uma questão de uma pessoa querer acreditar apenas, é algo mais. Por isso, eu não acho errado falar de Deus como se fosse algo incontestável, porque é a minha fé.) Eu sonhei com uma presença, com um espírito grandioso, bondoso que permeava minha mente, meu corpo, minha cama, meu quarto e que falava em nome do próprio Deus e no meu coração e na minha mente Ele dizia que Deus nunca condenou o amor entre duas pessoas do mesmo sexo e numa relação homossexual Ele somente condenava o mesmo que condenaria na relação entre casais heterossexuais. Eu acordei umas três vezes com o mesmo sonho durante a madrugada. A manhã seguinte foi a manhã que me libertou do medo que eu tinha de me aceitar como homossexual e a partir daí eu conheci o que é ser livre não só espiritualmente, mas psicologicamente também.
Passei mais de um ano com a sensação de que haviam dois Deus(es) no mundo e dentro de mim, um Deus autoritário que exigia obediência cega e um Deus que exigia o amor, o respeito ao próximo e que buscava a felicidade dos seus filhos, mas essa contradição acabou e eu não sofro mais por isso!Sou louco? Talvez seja, mas eu sou feliz também!

2 comentários:

deinha disse...

cara muito boa a sua história ,ainda bem que vc se libertou e hoje é uma pessoa feliz,é isso aí.

ஜTatyஜAngelஜ disse...

OLha eu amei o blog mto interessante mesmo...Eu saí do armário a poucos anos e olha a experiencia desta passagem foi maravilhosa hj sou bem mais feliz beijos (ah vou add em meus links favoritos)^^