quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Sabine

Bom... só tive 1 namorado, q nem considero pq só tinha 13 anos e foi um namoro bem "bobinho", fiquei com uns 3 ou 4 meninos depois disso e como nunca sentia nada demais qnd estava com eles (aliás, eu ñ sentia nada mesmo, o q acabou me fazendo parar d ficar com garotos, o q considero bom por ñ te precisado transar com nenhum pra me "descobrir") foi bem fácil me entender como lésbica e me aceitar. Meu pai morreu qnd tinha 17 anos, mas como passava mais tempo com ele do q com minha mãe, ele sabia, afinal ñ é qlqr pai q vê uma mulher bonita na rua e "cutuca" a filha pra apreciar a visão tb...rsrs...Bom, contei pros meus amigos, alguns choraram, até hj ñ entendi pq, mas de resto foi bem tranquilo. Agora vinha a hora de falar p minha mãe, só q ela resolveu perguntar 1º!! E nem foi pra mim, perguntou à uma amiga. A Sabine é gay?? ao q minha amiga respondeu: Se for, tem algum problema??...O silêncio da minha mãe foi ensurdecedor...e o pior eu ouvi tudo d onde estava...veio na minha cabeça: De onde ela tirou essa desconfiança??!! Afinal eu nunca saía com garotos, muito menos falava deles, vivia em baladas e parava tudo o q estava fazendo p assistir Bad Girls e Queer as Folks...bem, isso respondeu minha dúvida...rsrsrs...Nem fiquei em casa naquele dia, qnd cheguei d madrugada ela acordou e me abordou no banheiro no exato momento em q escovava os dentes. Disse: O q a Dri falou, é verdade? E eu comecei a achar a escovação dos dentes uma tarefa incrivelmente fascinante (as coisa q fazemos qnd estamos numa situação desconfortável...rsrs), me fiz de desentendida e a ignorei, ela insistiu dizendo q sabia q eu tinha ouvido a conversa delas 2 de manhã...tomei coragem e disse q era sim e peruntei pq ela queria saber e ela disse: Vc é feliz??, respondi q sim, ao q ela respondeu: Ok então, durma bem filha, mamãe te ama!!...Fui dormir me sentindo a "sapinha" mais feliz do mundo...Aí foi tudo lindo, ela conheceu as namoradas q tive depois disso, ela dormiam lá em casa, tudo bem "famíla" unida...
...Até q meus parentes descobriram (crédito q eu reservo à rede Globo de Televisão, me viram pela tv na parada gay de "Copa" em 2002...aff), então veio o "Inferno de Dante" por 1 ano. Diziam q minha mãe ñ tinha q aceitar isso, q era absurdo, q se meu pai estivesse vivo isso ñ teria acontecido (mal sabiam eles q ele morreu sabendo) e todo aquele blá, blá, blá...minha mãe começou a me rejeitar, nós brigávamos o tempo todo, ficava controlando meus horários (coisa q p mim era absurdo, pq eu já ñ tinha hora p chegar em casa desde os 14 anos), meu namoro foi por água à baixo por causa disso tudo...Depois d tanta "encheção de saco" dos meus parentes, eu "explodi" numa festa de família (crédito q eu reservo às cubas libres q tomei), disse q eles ñ pagavam minhas contas, q minha mãe estava melhor q eles pq pelo menos eu era uma boa filha e ñ saía por aí transando com todo mundo, pegando doenças e engravidando como minhas primas, q eu ñ era viciada como o meu primo etc...disse p minha mãe q ela estava sendo hipócrita, pq ela vinha aceitando numa boa até descobrirem, enfim, mandei todo mundo p casa do caralho e parei de falar com eles por 2 anos...minha mãe me pediu desculpas e acabou entrando na "onda" junto comigo, aí foi tudo melhorando de novo...Meus parentes agora ñ falam mais nada, minha namorada é sempre bem vinda na casa deles, nós conversamos abertamente etc. Agora converso numa boa com minha mãe sobre meu relacionamento (coisa q antes eu ñ fazia, apesar de ela aceitar). Aprendi 4 coisas com isso tudo, 1º: Nossos progenitores ñ tem obrigação de aceitar, mas sim d respeitar. 2º: Se eles respeitam a aceitação vem com o tempo. 3º: Se vc se impor as pessoas irão te respeitar com indivíduo. E 4º: Nunca leve sua mãe p uma boate gay, pq senão vc ñ fica "à vontade"...rsrs
...Esperar q todos aceitem numa boa é meio ilusório, tem sempre 1 q se opõe, mas isso ñ pode fazer vc se "anular" e abaixar a cabeça...nunca tive vergonha de mim, pelo contrário me orgulho d ter passado por isso de cabeça ergida o tempo todo (crédito q reservo ao meu nariz arrebitado...rsrs)...mas, sério importante não é discutir, nem tenho q porvar nada pra ninguém, basta ser uma pessoa conciente e honesta comsigo mesma, se fizer isso as outras pessoas vão notar q gosto ñ é falha de caráter. Pq ninguém escolhe gostar mais de filé do q d salmão, isso é uma coisa q é implícita em nós, assim como nossa orientação sexual (odeio a palavra "opção", leva à interpretações dúbias)...Então, p aquelas q ainda ñ saíram do armário: Tenham coragem!! Qnt mais de nós assumirem, mais fácil será pra nos colocarmos na sociedade como pessoas simplesmente, e não um grupo dsitinto...A visibilidade é fundamental pra sermos respeitados e amados!


Um bjo e força à todas

3 comentários:

»»Luh Díaz«« disse...

Olá!!
Passei para fazer uma visitinha... aproveitei e te linkei, tá... Adorei o formato do blog, super descolado!!

Beijocasss...

alex_paige disse...

Adorei o blog!É muito bom saber que não sou a única que tem essa ideologia, estou passando por uma barra aqui em casa com essa situação, estou tentando conversar com pessoas que já tenham passado por isso, criei um ORKUT na esperança de dividir meus problemas com pessoas que já tenham vivido esse digamos “drama”, mas é difícil alguém confiar em um desconhecido. Quem estiver disposto a me AJUDAR ficarei grata.
Orkut: alex_paige@hotmail.com

Anônimo disse...

adorei sua história..