segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Saindo do Armário: outra perspectiva



Hoje eu resolvi tirar do armário uma outra faceta da minha personalidade e do meu Eu.
Eu vou assumir publicamente, pra quem se interessar e quiser saber, começando por compartilhar isso aqui: Eu sou ATÉIA.
Talvez pareça ridículo pra vocês... Depois de tanto preconceito que a gente enfrenta por sermos homossexuais, se declarar ateu não deve ser um desafio tão maior...
Mas é.
Vivemos em uma sociedade trdicionalmente cristã, cujos hábitos discriminatórios, inclusive, derivam dessa tradição.
Deus, Seu filho, Seu Espírito Santo, Seus discípulos são figuras masculinas... segundo a bíblia, Ele condena os homossexuais (embora haja controvérsias..)... Cam, o filho escuro de Noé traiu o pai e foi amaldiçoado... E é essa a origem dos preconceitos contra as mulheres, os homossexuais e os negros, respectivamente.
Ocorre é que por dezoito anos, me enfiaram guela abaixo um monte de baboseiras sobre religião, ensinamentos de Deus, dogmas e coisas do tipo, e nada foi suficiente para me fazer acreditar de coração que existe um Deus. Porque me descreveram um Deus bondoso e misericordioso infinitamente... mas o Deus que eu leio na bíblia, o Deus de que falam nas igrejas é machista, preconceituoso, malvado, vingativo, autoritário, intrometido, intolerante, inescrupuloso e sanguinolento.
Uma pesquisa publicada pelo ilustre Richard Dawkins, revela que o atual status do ateu hoje, corresponde ao status do homossexual há 50 anos. Ou seja: estamos mal na fita!
Dawkins escreveu o livro "Deus, um delírio", que vou começar a ler hoje mesmo, e pretendo depois escrever sobre ele aqui, se vocês me permitirem...
Até hoje, nunca tinha sentido o impulso de me livrar do peso dessa religião que carrego nas costas, e que não me satisfaz em nenhum sentido. Sei que muitos dos meus parentes vão me virar as costas, pois somos uma família católica participativa. Eles jamais entenderão que SE existe um Deus, ele se importa com certeza muito mais com nossa índole, nosso caráter, nossas atitudes do que com nossas crenças.
Por isso eu, que não acredito definitivamente que haja um ser sobrenatural que criou o universo e que interfira nas nossas vidas, ouça nossas preces, puna nossos pecados (não só os que cometemos, mas tbm os que pensamos em cometer!), decidi hoje que vou assumir, nessa sociedade cristã, que sou cética.

6 comentários:

San Okeoman disse...

Seja bem Vinda Junqueira. Aqui é um espaço pra idéias desabafos e outras coisas que possam fazer nossas cabeças pensarem.
E por ser assim tão longe,não só dos Dogmas como também da censura autoritária que nos obriga a retrairmos questionamentos e até segredarmos conclusões que dou boas vindas, pois muitos tem esta mesma posição.

San disse...

credito que tambem as pessoas devam ler What the Bible really says about homosexuality
Edições GLS
edgls.com.br

Vendas: 11 3873 8638

Onde é abordado muito sobre o tema aqui posto!!!

Angela disse...

Eu adorei o livro. Você não está só! Eu também acho tudo um delírio. Um abraço.

Princesa disse...

Olá legal saber que você decidiu assumir que não acredita em 'Deus' só porque os outros querem, e sem dúvidas isso deve ter sido dificil...
Também não acredito em deus, e sei que nem sempre as pessoas são simpáticas e meigas, o importante é não permitir que os outros manipulem sua vida...

Petite Noire disse...

atéia tb...e louca pra ler o livro.

Petite Noire disse...

Nao acredito em deus, em mau nem bom...nem c[eu nem em inferno, nem em destino nem em futuro. e sou feliz.

cada fica onde está confortável. É essa minha opinião, que prefere ficar iludido e está feliz...que fique.