segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Que seja eterno...


Sabe aquele momento em que vc tem certeza de que encontrou a pessoa certa?...aquela do "para todo o sempre"?...pizeh eu achie! e depois resolvi "sacramentar':

Escolhi a aliança, guardei com cuidado. Queria q fosse natural e surpresa.

Bom, faziamos pre vestibular no mesmo curso e todas as quitas tomavamos café na lanchonete ao lado, antes de começar as aulas.E ela foi escolher o café e eu fui pegar meu costumeiro café preto com brioche. Sentei na mesa e não sabia se entregava quando ela chegasse ou depois, na hora de sair.

Já haviamos conversado sobre casar, mesmo durebas, casar pra mim é um comprometimento moral, físico espiritual e sentimental...mesmo em casas separadas.Casar definitivamente não é dividir o mesmo teto. isso é formalidade. Há quem diga que casar é assinar um papel. no meu caso, a lei nao favorece essa hipotese e a falta de grana impede o que é muito como em casais gays...casar significando dividir o mesmo teto. Mas por mim, teriamso nossa vida juntas, mesmo sem dividir o mesmo teto. Alias existem variso casais felizes e com uam loga vida juntos, sem dividir o mesmo teto....
Ela disse que se não fosse a grana, ou a falta dela, toparia, pra viver juntas e tudo mais.

Então ela chegou, sentou e começou a falar( nossa como fala de manha..rs) não consegui prestar a menor atenção no que ela dizia..estava na batalha interior "entregar ou não entregar? eis a questao"....
Aproveitei que ela deixou um guardanapo cair e baixou pra pegar, rapidamente tirei as alianças da bolsa e coloquei sobre a mesa bem à frente dela.
Ela olhou e perguntou - O que e isso?
Eu( roxa de vergonha)- Vc disse que se casaria comigo, se não fosse a grana, pq quer que morermos juntas e aturando uma a outra ate nossas pelancas cairem. Então...eu entendo casamento como compromentimento moral, espiritual, físico e emocional, nao precisamos morar no mesmo teto pra nos sentirmos assim. Quer casar comigo?

ela( surpresa e feliz)- MUITO!

Trocamos alianças tomamos café,beijinhos abracinhos...e 4 anos estamos e nos sentimos casadas....

e ainda duras.

O resto agente batalha e o futuro é promissor.

4 comentários:

egoscompostosanfipaticos disse...

Nhaim...
Que gracinha!
Torço pra que vocês dêem certo! Adoro histórias assim...
Mas olha... não precisa ser pra sempre, pra valer a pena, viu? A gente não carrega a vida toda na memória, só alguns momentos raros... Por isso não precisa ser pra sempre, tem só que ter momentos raros, e se passar, tem que ser suavemente...
Abraços, sucesso pra vocês...

Arthur disse...

Que delícia ler isto a esta hora, a esta altura de tudo...

Quem esteve lá, naquelas núvens, conhece o prazer de rever um guardanapo caindo, código privado, como o cheiro do café e o sabor da expectativa por lançar á mesa os dados, as alianças e a sorte, a vida nas mãos da pessoa em frente...

Em frente... enfrente.
De forma inexorável e irreversível, caminho sem volta.

Senti o cheiro do café, e minhas mãos suadas pela expectativa de uma outra manhã, anos atrás... muitos...

Sempre vale a pena.
Sempre valeu a pena, mesmo quando a sorte não me sorriu.
É sempre eterno!!!

Arthur disse...

HAHAHAHAHA.....
Só agora me dei conta de que não havia visto a autoria do texto e, surprise, descubro que é da Petite!!!

Cogumela =) disse...

Bom...encontrei o blog no orkut. Não posso deixar de contar a minha história...já aviso que é tri incomum...

(07/2008) madrugada e eu em casa sem fazer nada resolvi olhar a comunidade do "The L word" e casualmente havia um topico "ONLINE? entre aqui".
Lá fui eu, intediada... comecei a conversar com algumas gurias que estavam brincando por lá, marcando casamento e tal. Conheci então, uma paulistana: add orkut, olha fotos, conversa mais, add msn... dormimos as 4hs da manhã depois de trocar experiencias. Conversamos no outro dia, no outro e no outro... viajei, conversamos por telefone, SMS, o primeiro EU AMO VC! -me apavorou por sinal-.
Custei a acreditar mas, fomos levando, conversas, declarações de amor... eu no sul ela no sudeste. Chegou um dia em que reunimos economias e eu fui, a poucos dias...primeiro beijo no aeroporto, mãos dadas no ônibus, sorrisos... parecia que éramos íntimas a mais de ano. O sentimento naquele momento era algo incrivel e as duas estavam na mesma sintonia.
Pusemos alianças de compromisso. Eu, descubri que nunca amei ninguém tão forte assim. Nem sei se já amei alguém...
Resultado: agora voltei pro sul, a saudade dói, a vontade de tê-la num abraço, num beijo ou de apenas olhar sem dizer nada é enorme mas, já temos uma volta marcada para as férias.
Por enquanto continuamos assim mas, esperamos que um dia eu vá ou ela venha definitivamente.

^^ que lindo!

beijos