sexta-feira, 19 de junho de 2009

Cidadania



“A cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Quem não tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social”.
Dalmo Dallari,1998.
(DALLARI, Direitos Humanos e Cidadania. São Paulo: Moderna, 1998. p.14)

Diante disto, acredito que seja expressão da necessidade dos marginalizados, a reivindicação por tais direitos. Querem ser cidadãos de direito e não apenas de deveres.A condição de marginal, de excluídos, de inferiorizado, de destratado no grupo social coloca este individuo- ou grupo de indivíduos- na posição de luta pela igualdade legal.
Neste sentido grupos que se sente alijados de certos direitos, que nem a lei nem a moral os contemplam,tem a oportunidade, esta sim ,garantida por lei, de reivindicar a condição de igualdade.
Todos os anos um grupo de indivíduos cuja característica comum é ser discriminado por pertencer a comunidade LGBTs, se organiza e vai as ruas reivindicar cidadania.Tanto a reivindicação quando a organização do movimento são diretos garantidos por lei.
Mas fora da lei foram aqueles que tentaram ferir esses nossos direitos( um dos poucos que nos resta), fora da lei foram aqueles que assassinaram um jovem que estava na Parada gay de são paulo de 2009. Participando ou não...pouco importa. Ele foi morto. O mesmo ódio que matou o rapaz, talvez um ódio não direcionado especificamente a ele, mas ao grupo que estava lá reivindicando cidadania, também jogou uma bomba ferindo mais 40 pessoas.
Agora porque fazer isso? Quem fez isso, já tem todos os direitos que não temos. Não estamos roubando direito de ninguém. Queremos apenas os mesmíssimos direitos que eles.Mas ao contrário deles, não vamos jogar bomba em ninguém quando isso acontecer.

Vocês não querem direitos, querem regalias. Nós queremos cidadania.

1 comentários:

mara* disse...

Não nos querem reconhecer, nos querem invisíveis, inexistentes. Estaremos então livres de pagar impostos, taxas, contas de luz e muitas outras contas? Claro que não! Somos chamados quando se trata de cumprirmos com os nossos deveres de cidadãs e cidadãos, mas quando é o caso de termos reconhecidos nossos direitos, estes nos são negados, pois os direitos pertencem somente aos héteros.

Um abraço. Vida corrida é um fato por aqui também.