quarta-feira, 2 de julho de 2008

San

Quando todas as perguntas ainda estão em sua cabeça, mas tu achas que já tens todas as respostas pra seguir sozinha.

Com 13 anos, morando em uma Vila , um lugarejo típico de meu País, eu vivia sonhos de adultos.

Já trabalhava na mercearia local, ganhava meu dinheiro.

Lendo Giuseppe Tomasi e me apaixonando cada vez mais por Cecília Meireles e Clarice Lispector( Livros que minha Titini me mandava do Brasil).
Ah Sonhando com praias terras quentes, Mas minha mãe sempre dizia que voltaríamos no ano que vem...
Nunca chegava este ano.
Eu era uma estranha na terra que nasci, todos sabiam quem eu era , só eu ainda não sabia!
Me dividia entre duas culturas, entre dois mundos tão diferentes.
Um o amparo a Família, que estava alem do oceano, outro minha terra, aonde fui predestinada a nascer.
Cresci em um fogo cruzado o desejo de minha mãe se esconder e o meu de me encontrar.
Quando pequena eu não gostava de meninas, achava elas chatas, pedantes e fúteis.
Ainda estava em minha vecchia scuola, quando vi uma ragazza linda.
Foi amor a Prima Vista, ela era um céu e eu nasci pra voar!
Como falei era um lugarejo, então me empenhei em saber tudo de sua vida.
Ela tinha Mudado a pouco pra lá, mas todos já sabiam sua história.
Era Gêmea da Rosana, mas não idêntica.
Ela tinha os cabelos negros e olhos verdes!

Pele tão branca que chegava a cegar!

Seus Pais tinham morrido e elas foram adotadas por seus tios paternos.

Eu passava o dia pensando nela e as noites sonhando acordada, que era um menino para poder namorar com ela.

Resolvi falar pra ela o que eu sentia e fiz isto no banheiro da escola.

Ela não me falou uma palavra sequer, mas falou para todas suas amigas.

Ai minha vida virou um inferno todos riam e me falavam bobagens.

Minha sorte ter dois amigos fieis que não me abandonaram.
Apartir dai minha mãe claro ficou sabendo também e como beata

me colocou em cursos da igreja, acho que li a bíblia umas 40 vezes naquela época.

Foi legal porque descobri que gostava mesmo de história .

Quando me mudei para um colégio maior em outra cidade eu notei uma menina meio estranha, parecendo um menino, com um violão debaixo do braço.

Ela caminhava apressada e eu por instinto a segui.

Ela entro em Café se sentou em um banquinho, tirou o violão muito seria e começou a tocar.

Eu nem me dei conta de quanto tempo fiquei ali ouvindo.

Claro voltei e no segundo dia tomei coragem e conversei com ela.

Ela era uma guria pegadora e nem se importou com a minha idade, 14 anos.

Bom não vivi um amor com ela ficamos amigas, até hoje nos escrevemos, mas ela foi só um fica como se diz agora.

Foi bom porque aprendi, conheci varias pessoas, que tb eram como eu.
Ah sim a Rosa eu a encontrei depois , em um elevador.

Ela morava ali no mesmo lugar onde eu tinha uma de minhas namoradas.

Um dia quando subíamos sozinha eu dei um puta beijo nela e ela correspondeu!

Mas nunca mais nos falamos, pois me mudei de novo!

Minha mãe morreu não me aceitando, mas tendo que conviver com isto.

Na minha família , não existem segredos( entre aspas) ou tu guarda pra ti , porque se um só souber o restante vai ficar sabendo tb.

Quando finalmente vim para o Brasil, descobri que a família já tinha experiência , pois eu tinha mais 3 primas assumidas que eu não conhecia.

Eles fazem meio vista grossa, mas elas pelo menos tem o apoio de suas mães.

Agora se tenho algum primo Homossexual, isto eu não sei, porque a aceitação em relação ao lado masculino da família é péssima.

Tipo um tio diz que mata, outro diz que interna, outro que bate até virar homem e ter vergonha na cara, estas coisas imbecis

Então acredito que se algum deles for, vai ficar calado pro resto da vida.

1 comentários:

Lurdes disse...

ola amiga sensasional.Sua historia diferencia um pouco da minha.valeu!!.